CINEMA & EDUCAÇÃO

Dedicado a professores, alunos e amantes da 7ª Arte…

Patch Adams, o amor é contagioso

(Patch Adams)

 

 

Gênero: Drama

Lançamento: 1998

País: EUA

Duração: 114 min

 

FICHA TÉCNICA

Direção: Tom Shadyac

Roteiro: Steve Oedekerk, baseado em livro de Patch Adams e Maureen Mylander

Produção: Mike Farrell, Barry Kemp, Marvin Minoff e Charles Newirth

Música: Marc Shaiman

Fotografia: Phedon Papamichael

Direção de arte: James Nedza

Figurino: Judy L. Ruskin

Edição: Don Zimmmerman

Estúdio: Blue Wolf / Bungalow 78 Productions / Farrell/Minoff

Distribuidora: Universal Pictures / UIP

Efeitos especiais:Sony Pictures Imageworks

ELENCO

Robin Williams (Patch Adams)

Philip Seymour Hoffman (Mitch)

Daniel London (Truman Schiff)

Monica Potter (Carin Fisher)

 

SINOPSE

O enredo relata a história de um homem que se interna em um sanatório após uma tentativa de suicídio e, ao cuidar de outros internos, descobre que deseja ser médico para poder ajudar as pessoas. Na faculdade de medicina entra em conflito com a filosofia de ensino que se baseia na recusa dos sentimentos e na valorização absoluta da objetividade científica. De acordo com o professor-reitor, a tarefa dos professores é desumanizar os futuros médicos para que a relação médico-paciente não seja uma relação entre humanos, mas uma relação do médico com a doença.

 .

 TEMA

Reflexão sobre a escolha da profissão; currículo dos cursos de Medicina;

 .

 PREMIAÇÕES

OSCAR

Indicação

Melhor Trilha Sonora – Comédia/Musical

 

GLOBO DE OURO

Indicações

Melhor Filme – Comédia/Musical

Melhor Ator – Comédia/Musical – Robin Williams

CURIOSIDADE

– Durante as filmagens, Robin Williams e todo o elenco buscaram ajudar na medida do possível as crianças da Make a Wish Foundation (Fundação Faça um Pedido), que trata de crianças que estão sob tratamento contra câncer. Elas inclusive aparecem em Patch Adams, na cena em que o personagem de Williams visita as crianças no setor pediátrico.

3 comentários em “Patch Adams, o amor é contagioso

  1. Tatiane Aparecida Souza da Silva
    3 de outubro de 2011

    Olá ….
    Gostei muito desse filme por relatar a história de um médico que depois de ter tentado suicídio, se interna voluntariamente em um sanatório, descobrindo que a cura de qualquer doença não está apenas em um tratamento convencional na parte ‘física’ e sim no ‘emocional’, trazendo o humor como motivação a todos, para que continuem com forças para se tratar e conseguir total recuperação.
    E como prova que essa ‘TESE’ surte efeito nos pacientes, hoje em dia existem vários grupos voluntários que se inspiraram nesse filme, visitando hospitais e trazendo alegrias e motivação aos pacientes.
    Tatiane Aparecida Souza da Silva

  2. Décio Luiz Mendes
    31 de janeiro de 2013

    Olá,
    Que a menssagem expressa no filme em questão nos inspire decisivamente (o mais que humano em nós)……

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: