CINEMA & EDUCAÇÃO

Dedicado a professores, alunos e amantes da 7ª Arte…

10.000 A.C.

Profª. Mariana A. Costa

 (10,000 B.C.)

Gênero: Aventura

Duração: 109 min

Lançamento: 2008

País: Nova Zelândia, EUA

 

FICHA TÉCNICA

Direção: Roland Emmerich

Roteiro: Harald Kloser e Roland Emmerich

Produção: Roland Emmerich, Mark Gordon e Michael Wimer

Música: Harald Kloser e Thomas Wanker

Fotografia: Ueli Steiger

Direção de arte: Robin Auld, Michael Berg, Jules Cook, Hayley Easton, Fleur Whitlock e Marc Homes

Figurino: Renée April e Odile Dicks-Mireaux

Edição: Alexander Berner

Efeitos especiais:2e Effects / Double Negative / Machine / Gentle Giant Studios / Moving Picture Company / Patrick Tatopoulos Design / Tatopoulos Studios / The Senate Visual Effects / StarCrest Media

Estúdio: Warner Bros. Pictures / The Mark Gordon Company / Centropolis Entertainment / Legendary Pictures

Distribuidora: Warner Bros. Pictures

 

ELENCO

Omar Sharif (Narrador)

Steven Strait (D’Leh)

Camilla Belle (Evolet)

Cliff Curtis (Tic Tic)

Joel Virgel (Nakudu)

Affif Ben Badra (Warlord)

Mo Zinal (Ka’Ren)

Nathanael Baring (Baku)

Marco Khan (One-Eye)

Reece Ritchie (Moha)

Joel Fry (Lu’kibu)

Kristian Beazley (Pai de D’Leh)

Junior Oliphant (Tudu)

Mona Hammond (Mãe idosa)

SINOPSE

No ano de 10.000 a.C., homens e criaturas pré-históricas lutam pela sobrevivência na Terra. Neste cenário, surge D’Leh, (Steven Strait), um jovem caçador de mamutes, que se apaixona pela bela Evolet (Camilla Belle). Quando um bando de perigosos guerreiros a sequestra, D’Leh resolve liderar um pequeno grupo de caçadores em uma expedição no intuito de resgatar sua amada.

.

TEMA

Pré-História;

.

CURIOSIDADES

– O orçamento de 10.000 A.C. foi de US$ 75 milhões.

– D’Leh, lido de trás para frente, significa “held”. Em alemão, língua natal do diretor Roland Emmerich, esta palavra significa herói.

– Tim Shadbolt, o prefeito da cidade de Invercargill, na Nova Zelândia, sofreu um sério acidente automobilístico enquanto visitava as locações de 10.000 A.C.

– O filme foi muito criticado por apresentar uma série de erros históricos. Eis alguns destes equívocos:

  • O uso de mamutes na construção das pirâmides do Egito. Os mamutes viviam na América do Norte e norte da Ásia e não poderiam ser encontrados no deserto.
  • D’Leh e seus aliados vão ao Egito resgatar seu povo, os quais foram tomados como escravos para a construção da pirâmide e da esfinge. Entretanto, tais construções só seriam criadas quase oito mil anos depois, por volta de 2500 a.C.
  • Um telescópio e um mapa da África Ocidental e da Europa aparecem no filme.
  • O mais antigo uso da navegação se deu por volta de 3500 a.C.
  • O filme mostra humanos montando em cavalos, os quais não foram domesticados até aproximadamente 3500 a.C.
  • O uso de espadas e outras armas com lâminas só ocorreu a partir do terceiro milénio a.C.
  • Não há evidências que comprovem que o homem tenha caçado mamutes com o uso de redes.
  • A tribo Naku alimenta D’Leh com pimentas-vermelhas e o presenteiam com milho. Ambos vegetais são originários da América.

 

4 comentários em “10.000 A.C.

  1. Bruno de Moura Almeida
    30 de setembro de 2011

    Esse filme é otimo! Muito interesante, eles batalham para sua sobrevivência.
    Batalha para salvar a pessoa que ama e luta com vários animais da Pré-História.
    Obrigado pela oportunidade.
    Prof° Bruno

  2. Charles Centeno
    8 de setembro de 2012

    Ótimo filme, vi hoje de novo no SBT, nem lembrava mais, o filme é muito bem feito a historia é muito legal. Adorei. Quanto as criticas sobre os erros históricos, que me desculpe quem as fez mas acho que só disseram isso porque estavam meio sem ideia e não acharam outra coisa pra reclamar, o filme é muito bom e aquilo la não foi erro histórico, o filme não é um documentário e sim uma ficção. Filmes que se prendem a realidade tendem a ser monótonos e sem graça, e em 10000 a.c não tem monotonia, bem pelo contrario, temos muita ação, aventura e uma dose de romance no ponto certo que não deixa o filme meloso demais mas tambem não faz do filme uma película sem emoção alguma. Resumindo um ótimo filme com uma ótima historia, o defeito foi não terem produzido uma continuação.

    • Cintia M. S. Palma
      10 de setembro de 2012

      Caro Charles Centeno

      Acreditamos que os filmes não são, e nem devem ser, fiéis a realidade, por se tratarem de obras ficcionais. Porém, como um blog se propõe a discutir o uso do cinema na sala de aula, devemos, no mínimo, alertar aos não especialistas os equívocos que poderiam ser discutidos como verdades históricas.

      Obrigada pelo comentário, até a próxima, Profa. Cintia M. S. Palma

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: