CINEMA & EDUCAÇÃO

Dedicado a professores, alunos e amantes da 7ª Arte…

AMISTAD

AMISTAD (Amistad)

Gênero: Drama

Duração: 154 min

Lançamento: 1997

País: EUA

Classificação etária: 16 anos

 

FICHA TÉCNICA

Direção: Steven Spielberg

Roteiro: David H. Franzoni

Produção: Debbie Allen, Steven Spielberg e Colin Wilson

Fotografia: Janusz Kaminski

Direção de arte: Christopher Burian-Mohr, Tony Fanning e William James Teegarden

Figurino: Ruth E. Carter

Música: John Williams

Efeitos especiais: Industrial Light & Magic

Edição: Michael Kahn

estúdio: DreamWorks SKG / HBO

distribuidora: DreamWorks Distribution L.L.C. / UIP

 

ELENCO

Morgan Freeman… Theodore Joadson

Anthony Hopkins… John Quincy Adams

Nigel Hawthorne… Martin Van Buren

Djimon Hounsou… Cinque

Anna Paquin… Isabel II da Espanha

 

 

SINOPSE

Baseado em um evento real, o filme relata a incrível história de um grupo de escravos africanos que se rebela e se apodera do controle do navio que os transporta e tenta retornar à sua terra de origem. Quando o navio é aprisionado, esses escravos são levados para os Estados unidos , onde são acusados de assassinato e são jogados em uma prisão à espera do seu destino. Uma empolgante batalha se inicia, o que capta o interesse de toda a nação e confronta os alicerces do sistema judiciário norte-americano.

 

TEMA

Escravismo

 

PREMIAÇÕES

– Recebeu 4 indicações ao Oscar, nas seguintes categorias: Melhor Ator Coadjuvante (Anthony Hopkins), Melhor Fotografia, Melhor Figurino e Melhor Trilha Sonora.

– Recebeu 4 indicações ao Globo de Ouro, nas seguintes categorias: Melhor Filme – Drama, Melhor Diretor, Melhor Ator – Drama (Djimou Hounson) e Melhor Ator Coadjuvante (Anthony Hopkins).

– Recebeu uma indicação ao Grammy, na categoria de Melhor Composição Instrumental Composta Para um Filme.

 

CURIOSIDADES

– A história remonta ao ano de 1839 e é baseada em fatos verídicos que ocorreram a bordo do navio La Amistad.

– É o filme inaugural de Steven Spielberg para a DreamWorks Pictures.

– O militante negro Theodore Joadson (interpretado por Morgan Freeman) é o único personagem que não existiu realmente.

 

 

ATIVIDADES SUGERIDAS

Por Mariana A. Costa*

 

1) Debata com os alunos os principais pontos levantados e a seguir peça para que elaborem uma produção textual respondendo as questões:

– Você conhece ou já ouviu falar de filmes que abordam o mesmo assunto?

– Quando o filme foi lançado no mercado?

– O que você sabe sobre o contexto internacional da época?

– O filme tem alguma relação com a época em que foi produzido?

– Você assimilou/aprendeu alguma coisa com este filme? O que?

– Algum elemento do filme não foi compreendido?

– Do que você mais gostou neste filme? Por quê?

– Selecione uma seqüência protagonizada por um dos personagens do filme, analise e explique qual a sua motivação dramática. O que sua motivação tem a ver com o tema do filme?

– Descreva o uso da cor no filme. Ela enfatiza as emoções que os realizadores tentaram evocar? Como você usaria a cor no filme em questão?

– Analise o uso da música no filme. Ela conseguiu criar um clima correto para a história? Como você usaria a música neste filme?

– Todos os eventos retratados no filme são verdadeiros? Descreva as cenas que você achou especialmente bem coerentes e fiéis à realidade. Quais seqüências que parecem menos realistas? Por quê?

– Como a montagem do filme interfere na história contada pelo filme?

 

2) Peça para os alunos problematizarem a reportagem do jornal abaixo. Como o caso foi recebido pela população?

 

3) Há uma seqüência no filme em que Cinque conta sua história desde quando vivia na África até a captura, do cativeiro, da travessia do Atlântico nos navios negreiros.

Retome essa seqüência e em seguida apresente aos alunos a imagem e o trecho do poema abaixo:

 

a) Navio Negreiro, de Rugendas

 

b) Navio Negreiro, de Castro Alves

[…]

Era um sonho dantesco… o tombadilho

Que das luzernas avermelha o brilho.

Em sangue a se banhar.

Tinir de ferros… estalar de açoite…

Legiões de homens negros como a noite,

Horrendos a dançar…

Negras mulheres, suspendendo às tetas

Magras crianças, cujas bocas pretas

Rega o sangue das mães:

Outras moças, mas nuas e espantadas,

No turbilhão de espectros arrastadas,

Em ânsia e mágoa vãs!

E ri-se a orquestra irônica, estridente…

E da ronda fantástica a serpente

Faz doudas espirais …

Se o velho arqueja, se no chão resvala,

Ouvem-se gritos… o chicote estala.

E voam mais e mais…

Presa nos elos de uma só cadeia,

A multidão faminta cambaleia,

E chora e dança ali!

Um de raiva delira, outro enlouquece,

Outro, que martírios embrutece,

Cantando, geme e ri!

No entanto o capitão manda a manobra,

E após fitando o céu que se desdobra,

Tão puro sobre o mar,

Diz do fumo entre os densos nevoeiros:

“Vibrai rijo o chicote, marinheiros!

Fazei-os mais dançar!…”

E ri-se a orquestra irônica, estridente. . .

E da ronda fantástica a serpente

Faz doudas espirais…

Qual um sonho dantesco as sombras voam!…

Gritos, ais, maldições, preces ressoam!

E ri-se Satanás!…

[…]

Ontem a Serra Leoa,

A guerra, a caça ao leão,

O sono dormido à toa

Sob as tendas d’amplidão!

Hoje… o porão negro, fundo,

Infecto, apertado, imundo,

Tendo a peste por jaguar…

E o sono sempre cortado

Pelo arranco de um finado,

E o baque de um corpo ao mar…

Ontem plena liberdade,

A vontade por poder…

Hoje… cúm’lo de maldade,

Nem são livres p’ra morrer. .

Prende-os a mesma corrente

— Férrea, lúgubre serpente —

Nas roscas da escravidão.

E assim zombando da morte,

Dança a lúgubre coorte

Ao som do açoute… Irrisão!…

Senhor Deus dos desgraçados!

Dizei-me vós, Senhor Deus,

Se eu deliro… ou se é verdade

Tanto horror perante os céus?!…

Ó mar, por que não apagas

Co’a esponja de tuas vagas

Do teu manto este borrão?

Astros! noites! tempestades!

Rolai das imensidades!

Varrei os mares, tufão! …

(NAVIO NEGREIRO – Castro Alves)


Peça para os alunos relacionarem a cena do filme, a imagem e o poema.

 

REFERÊNCIAS

NAPOLITANO, Marcos. Como usar o cinema na sala de aula. São Paulo: Contexto, 2003.

 

*Graduanda em História pela Universidade de Mogi das Cruzes.

 

 

3 comentários em “AMISTAD

  1. Cosme Rufino de Oliveira
    27 de abril de 2011

    O filme Amistad é muito interessante para se trabalhar a questão do sofrimento que os escravos africanos sofreram no continente americano.
    A escravidão era um dos negócios mais lucrativos nos séculos XVI, XVII e XVIII. É importante mostrar aos alunos a luta dos negros e também dos abolicionistas pela libertação.
    Parabéns pelo blog!
    Abraços,
    Cosme Rufino de Oliveira

  2. Fabio Antonio da Silva Barreto
    18 de agosto de 2011

    O blog é sensacional, auxiliou-me no trabalho com os alunos do ensino médio na compreensão do que foi a escravidão, a partir do uso de imagens.

    Parabéns.

    Prof. Fábio Antonio

  3. karla
    2 de setembro de 2014

    cade o gabarito?

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: