CINEMA & EDUCAÇÃO

Dedicado a professores, alunos e amantes da 7ª Arte…

Cinema e…

Caros colegas

Iniciamos esse projeto pensando em postar indicação de filmes e atividades relacionados ao Ensino de História (Aliás, esse é o motivo do nome do blog: “Cinema, História, Educação”).  Porém, em virtude de solicitações de colegas, temos nos dedicado também a indicar filmes relacionados a outras áreas da educação, como

CINEMA E PEDAGOGIA

CINEMA E DIREITO

CINEMA E PSICOLOGIA

CINEMA, COMUNICAÇÃO E MÍDIA

Gostaríamos ainda, de trabalhar com outras áreas, como CINEMA E LITERATURA, CINEMA E GEOGRAFIA, CINEMA E ADMINISTRAÇÃO  e muitos outros. Porém, para tanto, seria interessante contar com a colaboração de colegas de outras áreas.

Estamos abertos a participação de todos os amantes de CINEMA E EDUCAÇÃO em geral.

Por favor, entrem em contato!

Grande abraço a todos!!!

Profas. Cintia M. S. Palma e Mariana Andrade da Costa

Sobre Cintia M. S. Palma

Bacharel e Licenciada em História pela Universidade Federal do Paraná, Mestre em Educação: História, Política, Sociedade pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo. Atualmente é professora da Universidade de Mogi das Cruzes. Principais campos de atuação: História da Educação, Ensino de História e Cinema e Educação.

7 comentários em “Cinema e…

  1. Gilciany
    24 de abril de 2011

    Oi Mary, bem eu to montando um outro blog com as meninas de letras, sobre leitura, e nele vai ter uma página sobre adaptações de livros literários para o cinema, depois que ele estiver no ar, podemos fazer uma parceria, p gente ir trocando conteúdos…acho que vai te ajudar! Assim que o blog sair, te aviso e mando os conteúdos p vc postar no seu tbm. Um beijo!

  2. Eliel
    30 de setembro de 2011

    Aconselho a todos assistirem este filme…

    Sete vidas (Will Smith), um filme baseado em fatos reais.

    No filme Sete Vidas, o personagem Ben (interpretado por Will Smith) é um homem depressivo que tenta fugir da culpa do acidente causado por ele. Para se redimir, ele pretende salvar sete vidas.
    Ben estava voltando de uma festa, tarde da noite com sua mulher, e por um instante ele dorme ao volante do carro e causa um acidente coledindo de frete com um carro, causando a morte de sete pessoas, incluindo a de sua mulher.
    Depois do acidente Ben então nunca foi a mesma pessoa, todas as noites tem pesadelos com o acidente e acorda de madrugada pertubado, se culpando pelo ocorrido, até que no dia em que tenta se suicidar conhece Emily, uma linda mulher que sofre de um problema no coração. Apaixona-se por ela e muda seus planos.
    Ele então teve uma grande ideia, pensou em um modo para se redimir com Deus: quer salvar sete pessoas com sua propria vida, conhecendo pessoas que precisam de uma doação de orgãos para sobreviver… Mas ele não pretende simplesmente se doar asssim, ele quer conhecer a fundo a história da cada pessoa antes de fazer a doação.
    Quando Ben decide as setes pessoas que irão receber os orgão, deixa um bilhete, liga para a policia informando de sua morte, entra em sua banheira e joga sua água-viva de estimação para tomar uma descarga elétrica e morrer. Os orgãos de Ben são doados e ele cosegue alcançar seu objetivo salvando sete vidas.

  3. Norberto Rodigues.
    1 de outubro de 2011

    O filme faz uma crítica ao capitalismo e ao modelo industrial.
    Todo trabalho era em série, visando só a produtividade. Portanto o trabalho intelectual era exercido por quem comandava e o trabalho manual por aqueles que trabalhavam pesado: os operários. Os mesmos eram controlados através do sistema de cartão de ponto, e eram vigiados continuamente, e até os intervalos do lanche eram pré-determinados e ao toque da sirene voltavam ao rítmo alucinante de produção contínua. Cada operário executa uma única etapa, tendo uma função específica e sempre do mesmo jeito, o que o aliena do processo de trabalho. Com a própria mecanização, o trabalho desqualifica-se a partir do momento em que é só chegar com uma carta de apresentação, e não passar por um processo de treinamento e qualificação. Durante o filme percebi que o individualismo era bem presente e não havia solidariedade nas pessoas envolvidas no processo de produção. O rítmo de trabalho era tão acelerado que levava o sujeito a ter até mesmo um comportamento inadequado,pois a dura jornada de trabalho, a mecanização das ações, o despreparo profissional, tudo isto levava o individuo a um cansaço muito grande, o trabalhador não podia perder muito tempo . Em ocorrência disto, havia muitos acidentes de trabalho. Com a cena do filme nos mostra. Ficou bem claro que as industrias não utilizavam mão-de-obra qualificada, todo comportamento era mecânico e o que interessava para os donos das industrias não era o sujeito e sim o produto final. Tudo que era feito sempre visava o lucro.
    Norberto Rodigues.

    • Cintia M. S. Palma
      21 de outubro de 2011

      Norberto,
      Sem dúvida, uma das críticas mais contundentes do sistema capitalista!
      :o)

      • Mariana
        7 de fevereiro de 2012

        riconosco la mczaanna di leggerezza, ma io mi sono molto incazzato vedendo questo film. La pesantenza non era assolutmente per te. Anzi…Magari se andavamo insieme a cinema ci scoppiava la rissa

  4. Churrotul
    7 de fevereiro de 2012

    Caprichou na lista, heim? Boas ltisas, hehe. O Menino do Pijama Listrado é mesmo um lindo filme, tinha me esquecido dele. Só não concordo muito com Distrito 9. beijos

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: